Trilha da Lagoinha do Leste (Via Pântano)
16 NOV

Trilha da Lagoinha do Leste (Via Pântano)

Moderada - Nível 4 Robson Fernando Duda @trilhasemsc Última atualização em 17/11/2020

Essa trilha com certeza é um dos cartões-postais da cidade de Florianópolis e não pode ficar de fora da lista de lugares para conhecer na "Ilha da Magia", pois o lugar tem muito dessa magia nele. Hoje vamos explorar umas das opções para se chegar até lá, pois você pode chegar de diferentes formas e caminhos.

Como dito, a trilha de hoje é um dos possíveis caminhos para se chegar até a Praia da Lagoinha de Leste e, consequentemente, o tão desejado Morro da Coroa e a famosa Pedra do Surfista. Já falamos aqui como chegar na Lagoinha iniciando a trilha da Praia do Matadeiro (veja aqui). A outra opção é iniciar a trilha pelo Pântano do Sul. Para chegar lá, siga em frente depois de passar pelo acesso da Praia da Armação até chegar próximo ao acesso da Praia do Pântano do Sul. Nesse lugar existem muitos estacionamentos, onde é possível deixar o carro em segurança e ainda tomar uma ducha gelada e usar o banheiro ao final da trilha. Na rua tem poucas opções de estacionamento, e como sempre, recomendamos deixar o carro no local mais seguro para não passar por nenhum perrengue.

Deixando o carro no estacionamento, você deverá voltar duas quadras à partir de um pequeno mercado localizado perto do acesso à praia. Já aproveita e pega uma água e um lanche, pois a trilha é curta, mas exige muito fôlego e energia. Subindo pela rua indicada, já temos o primeiro desafio, pois a rua é bem íngreme e na metade dela está a entrada da trilha, que é sinalizada por uma enorme placa, não tem erro.

O caminho da trilha é basicamente subir e descer um morro. Logo, teremos uma boa subida e uma descida que exige um bom controle das pernas. A trilha se divide mais ou menos em metade subindo e metade descendo. No início, é possível ver muito pontos de adaptação no trajeto, onde foram colocados degraus de madeira para facilitar a subida. 

Também pelo caminho é possível encontrar pelo menos dois pontos com água cristalina e fresquinha. Elá é ideal para lavar o rosto, refrescar um pouco o corpo em dias mais quentes e, em últimos casos, se hidratar. Lembre-se que quando não sabemos a origem exata da água, caso decida consumir, use comprimidos de cloro ou algum outro tipo de tratamento antes de ingerir, para evitar contaminação.

Essa trilha foi contemplada pelo projeto Programa Roteiros do Ambiente - Trilhas e Caminhos na Ilha de Santa Catarina, então é possível ver placas sinalizadoras e explicativas pelo caminho. Inclusive a placa existente na entrada da trilha é uma delas. Além de indicar a entrada da trilha, as placas trazem dicas sobre a história da trilha, níveis de dificuldade, informações de fauna e flora e também recomendações de conservação do ambiente. 

Saindo do Pântano, o trajeto inical é somente subidas. Notamos que ela está chegando ao final quando os degraus colocados na trilha parecem levar direto para o céu. É sinal que estamos chegando na parte superior do morro e logo iniciaremos a descida. É na parte próxima ao topo do morro que ficam as partes mais descobertas da trilha, pois a maioria do trajeto é feita pela mata, na sombra.

Pronto, chegando ao topo, que sinaliza mais ou menos a metade do percurso, iniciamos a descida. Nesse trecho, existem pequenos degraus também, esses de pedra, que facilitam um pouco na hora de apoiar melhor a perna e descer com segurança. 

Quase no final da descida, quando a mata começa a ficar menos densa, começamos a ter as primeiras visões da praia, e ela é linda! Na foto abaixo, vemos a parte esquerda da praia, que é caminho para quem faz a trilha pela Praia do Matadeiro. Nesse canto também é onde um pequeno rio deságua na praia, formando uma paisagem linda! Além de ser muito bom pra tomar um banho de rio!

Já do lado direito, vemos o ponto onde fica a chegada da trilha do Pântano e também a base do Morro da Coroa, famoso por abrigar a Pedra do Surfista, cartão-postal da trilha. 

A Pedra do Surfista é desejada, mas para chegar até ela é preciso fazer uma outra trilha, saindo da areia e subindo até o alto do morro. A trilha é curta, mas intensa, inclusive com pontos de escalaminhada. Mas não se assuste, com calma é possível chegar tranquilo até o topo e a vista vale muito a pena. Se você já acomapnha nossas postagens, sabe que é possível chegar lá sem todo esse sofrimento, mas se não conhece, clica aqui e veja como fazer isso sem sofrer com o trajeto morro acima.

Quando estamos na temporada, a praia fica mais cheia a trilha mais procurada. Com isso surgem alguns pequenos bares, barracas que vendem água, cerveja e outras bebidas. Nossa dica depois de tanto sobe e desce é um bom caldo de cana, que é vendido por lá também e é uma ótima pedida ao final da trilha.

Para fazer o caminho inverso e retornar para o Pântano do Sul, basta seguir o mesmo caminho feito, mas agora no sentido inverso. Se ficar desorientado caminhando pela praia, basta seguir o portal que indica o ponto exato onde se deve retornar e "seguir reto toda a vida"!

Trilha da Lagoinha do Leste (Via Pântano do Sul)

Percurso: 2200 metros (somente ida)

Tempo do percurso: 1 hora

Florianópolis

Grau de dificuldade

Grau de dificuldade da trilha Moderada

Moderada - Nível 4

Saiba mais sobre o grau de dificuldade