Travessia Marco da Divisa x Monte Crista
17 AUG

Travessia Marco da Divisa x Monte Crista

Pesada - Nível 7 Robson Fernando Duda @trilhasemsc Última atualização em 17/08/2021

O desafio de uma travessia é sempre algo empolgante, pois é a junção de vários fatores que colocam em jogo o preparo e o conhecimento do trilheiro. Não se deve considerar apenas a trilha, mas também o esforço total despendido na atividade, como o fato de estar carregando peso, a alimentação necessária para todos os dias da travessia, quais objetos levar na mochila. Hoje vamos compartilhar a experência de realizar a Travessia Marco da Divisa x Monte Crista e falar sobre os desafios e recompensas dela.

Mais uma vez nosso destino foram os Campos do Quiriri e mais uma vez contamos com a experiência e profissionalismo do condutor @schon.adventure. Digo mais uma vez, pois já cotamos com a sua experiência em uma travessai anterior e novamente confiamos nos seus serviços e sua experiência. Isso com certeza foi determinante para o sucesso da travessia. 

Tínhamos pela frente aproximadamente 38km de caminhada a ser realizada em 3 dias, iniciando na sexta e finalizando no domingo. Essas travessias geralmente são feitas pelo Schon e podem ser acompanhadas seguindo o perfil dele no Instagram.

O planejamento dos três dias incluia a caminhada pelos Campos do Quiriri (Marco da Divisa, Pedra da Tartarura e Pedra do Lagarto) e a passagem pelo Monte Crista, descendo por sua trilha até o final da travessia. 

A previsão do tempo para os três dias de nossa travessia não era dos melhores, mas mesmo assim seguimos com o planejado. Nesse caso, todo o planejado foi feito pelo nosso condutor Schon. A logística de uma travessia não é algo fácil. Tivemos essa experiência há um tempo fazendo a Travessia Laranjeiras x Funil e realmente deu trabalho.

 

Primeiro Dia - Marco da Divisa e Pedra da Tartaruga

Nos encontramos no ponto final da travessia para iniciar a jornada de consquista desse belo trecho de trilhas. O local de encontro foi o Estacionamento do Sr. Harry, local muito conhecido por quem faz a Trilha do Monte Crista. Ali seria nosso ponto de chegada. Logo, teríamos que ir dali até o ponto de partida, localizado no início da trilha para o Marco da Divisa. 

Para chegar no Marco da Divisa, tivemos que sair de van do Estacionamento do Sr. Harry e seguir até a fazenda Fazenda Munhoz, local de onde geralmente os trilheiros partem para fazer a trilha do Marco. De lá ainda fizemos parte do caminho de caminhonete até chegar no início da trilha. 

Chegando até o local de início da trilha, começamos a jornada rumo ao Marco da Divisa, que é um marco que define os limites territorias entre os estados de Santa Catarina e Paraná.

Mas ele vai além de um marco com importância apenas geográfica, tendo uma grande importância histórica. Sua colocação nesse ponto dos Campos do Quiriri foi em consequência da Guerra do Contestado. Isso mesmo, o conflito que ocorreu entre 1912 e 1916 foi causado pela disputa das terras dessa região. A construção de uma estrada de ferro pela empresa norte americana Brazil Railway Company desencadeou uma série de eventos que culminaram nesse conflito. Nomes como o de José Maria de Santo Agostinho ficaram conhecidos e foram muito relevantes neste conflito. 

Por fim, depois de 4 anos de inúmeras batalhas e muitas perdas humanas, o conflito teve fim. Foi assinado o Acordo de Limites Paraná-Santa Catarina e de forma simbólica, foram colocados não apenas esse, mas também outros marcos, definindo essa nova fronteira entre os estados. 

Marco da Divisa Travessia Marco da Divisa x Monte Crista

A foto acima foi da nossa primeira visita ao Marco da Divisa. Esse céu aberto e dia ensolarado não foi realidade na nossa travessia, pegamos um dia bem chuvoso no primeiro dia. Passando por ali, pegamos o tempo nublado. Na sequência, nosso objetivo seria alcançar a Pedra da Tartaruga, um dos pontos mais famosos dos Campos do Quiriri.  Como o tempo estava nublado e chuvoso, decidimos deixar esses dois pontos de lado e seguir um pouco adiante em nosso caminho da travessia, em um local onde existe uma espécie da parada das pessoas que cuidam do gado ali na região e onde seria mais confortável armar nosso camping no primeiro dia. Fizemos isso e realmente foi muito bom, principalmente para cozinhar. Armamos as barracas e até tivemos um pouco de sol ao final do primeiro dia. 

Acampamento Primeiro Dia na Travessia Marco da Divisa x Monte Crista

Segundo Dia

Ficamos empolgados com o sol no fim do primeiro dia e na manhã do segundo dia iniciamos o processo de desmontar o acampamento e seguir adiante em nossa travessia. Nosso desafio do dia era andar mais ou menos 10km até a Pedra do Lagarto, local onde seria nosso segundo acampamento. A previsão do tempo era para tempo bom e céu aberto no período da tarde. Iniciamos a manhã do segundo dia com o céu nublado, mas com a esperança que ele abrisse durante a caminhada. 

Teríamos pontos interessantes de observação pelo caminho, por isso a expectativa de céu aberto. Locais como o Pico do Bradador e o Morro dos Alemães eram pontos que poderiam ser vistos na caminhada. Infelizmente o tempo não colaborou e não tivemos visibilidade desses pontos. Mas conseguimos chegar na Pedra do Lagarto com o céu ainda aberto e armar acampamento. Tudo isso antes do céu se fechar novamente e um chuvisco se iniciar. 

Pedra do Lagarto na Travessia Marco da Divisa x Monte Crista

Terceiro Dia - Pedra do Picolé e Monte Crista

Depois de dois dias de céu fechado, todas as emoções ficaram para o terceiro dia. O dia amanheceu completamente aberto e estrelado e tivemos um teto baixo, o que fez o nascer do sol ser ainda mais especial.

Após contemplar o nascer do sol, seguimos em frente em nosso trajeto, pois teríamos 18km pela frente, passando pela Pedra do Picolé, Cachoira da Cabeluda e finalmente Monte Crista, que faríamos a descida para finalizar o trajeto.

Mar de Nuvens na Travessia Marco da Divisa x Monte Crista

Esses são os belos registros do mar de nuvens.

Nascer do Sol Pedra do Lagarto na Travessia Marco da Divisa x Monte Crista

Após esse espetáculo, seguimos em frente rumo ao Monte Crista.

Caminhada Campos do Quiriri  na Travessia Marco da Divisa x Monte Crista

No caminho, a primeira parada foi a Pedra do Picolé. Esse nome é dado pelo seu formato, que parece um picolé.

Pedra do Picolé na Travessia Marco da Divisa x Monte Crista

Foto: @benhurtezzele

Uma das surpesas do caminho foi essa espécie de gruta que fica na parte de baixo da Pedra do Picolé. 

Caverna Pedra do Picolé Travessia Marco da Divisa x Monte Crista

 

Grau de dificuldade

Grau de dificuldade da trilha Pesada

Pesada - Nível 7

Saiba mais sobre o grau de dificuldade

Powered by Wikiloc